30.11.05

A (IN)JUSTIÇA BRASILEIRA

Segunda-feira última, li, no jornal " AFolha de São Paulo", que considero o mais sério jornal do Brasil, uma matéria que me deixou chocado, e que mostra o que é a Justiça brasileira. Fiquei tão revoltado com a história que resolvi escrever uma mensagem para as listas de discussão , das quais participo, e para centenas de amigos. Apenas dois desses me responderam. Um com a frase: "uma vergonha"; outro me pediu autorização para publicar a referida mensagem no blog que possui. Poucas pessoas, na verdade, se preocupam com a dor alheia; o individualismo venceu.
Vou transcrever,aqui, a mensagem.
A (IN)JUSTIÇA BRASILEIRA
" acabei de ler, na Folha de São Paulo, desta segunda-feira, uma matéria que me deu nojo da Justiça brasileira. Senti, realmente, uma náusea sartreana com tamanho absurdo relatado na matéria jornalística.
A lei diz que todo cidadão é inocente, até ser condenado. E´inocente... mas se for rico, corrupto de alto grau ou alguém importante do Governo. Neste caso, mesmo condenado, o indivíduo receberá as benesses da lei.
A história é a seguinte. Dona IOLANDA FIGUEIRAL, 79 anos de idade, foi presa, sob a acusação de ser "traficante de "crack". Não há nenhuma prova concreta para condená-la. Segundo o próprio depoimento da anciã, ela "estava estendendo roupa, quando a nora dela gritou que um homem havia entrado na casa dela e jogado "uma coisa". A dona Iolanda foi ver o que era e pegou uma sacolinha, quando a polícia, que vinha perseguindo o tal homem, apareceu e a levou presa. Na sacolinha existiam algumas pedrinhas de "crack" embrulhadas. Dona Iolanda jura inocência, inutilmente... A Justiça não a escuta... ela é uma miserável... Nem os vários apelos para que fique em prisão domiciliar pelas condições adversas de saúde e de idade foram atendidos pela Justiça.
Dona Iolanda é uma ex-bóia fria, ex- catadora de lixo, e vivia com uma aposentadoria de R$300,00. E mais , é uma doente terminal , com câncer no intestino e no ovário. Atualmente pesa menos de 40kg e sofre de dores indescritíveis, além de ter o intestino colostomizado... Encontra-se abandonada , numa cama na Penitenciária Feminina do Tataupé, sem julgamento.
Que risco oferece à sociedade essa pobre mulher que tem os seus dias contados e está sendo consumida pelos cânceres? Que justificativa se pode encontrar para manter na prisão essa velha senhora, com a saúde nesse estado? Nem julgada foi! Nem condenada foi! Alega inocência e deseja apenas morrer em casa, junto dos filhos que sobreviveram, pois alguns morreram de fome anteriormente...
Dona Iolanda Figueiral não é "cidadã brasileira", apesar de ser brasileira, de ter nascido neste País. Para ela não funcionam as leis. Dona Iolanda é uma pessoa paupérrima. E para as pessoas paupérrimas funcionam, sim, os rigores das leis. Para os ricos , os deputados corruptos, os que assaltam os cofres da Nação, os favores da lei.
E´revoltante! E´inacreditável. Mas está lá , na Folha de São Paulo , página C1, da edição de 28/11/2005, para quem quiser conferir.
Denunciemos esse fato ao mundo.... Ele envergonha a Pátria brasileira... Ele mostra que há "duas justiças" no Brasil..."

3 comentários:

NicoleLeoni disse...

Realmente, é triste saber que no nosso país isso acontece não só com Dona Iolanda, mas com Dona Maria, Seu José.... o pior mesmo, e admito fazer parte destes, é que já estamos acostumados com isso, tristemente, não causa tamanho choque como deveria causar! O que é uma vergonha! Acho que é uma coisa que merecia mais esforço das pessoas: esquecer um pouco de seus mundinhos (que isso não soe pejorativo!)e se mobilizar mais com a desgraça alheia.

Anônimo disse...

Ontem, no programa de Jó Soares, um telespectador fez uma proposta interessante: "imagine se criássemos uma lei na qual os nossos prezados representantes públicos (legislativo e executivo) fossem obrigados a ter que educar os filhos em colégios públicos e só ter acesso ao sistema público de saúde" Será que o problema da educação e saúde no Brasil não seriam resolvidos? isso poderia ser acrescentado a nossa polícia e poder judiciário que nos obrigam a defesa do lema: "manda quem pode e obedece quem tem juízo". De fato, sobre o assunto em questão, lembro das palavras do Boris: "isto é uma vergonha".

PS: parabéns pelo blog......sempre inovando!
Att., xisto souza Júnior

Ingrid Mittelbach disse...

Absurdo isso.
O pior é a impotência de não puder ajudar!
=/